Criando servidor de Left 4 Dead 2 usando LinuxGSM

Já faz algum tempo que venho querendo fazer este tutorial, mas faltou tempo. O tutorial não é muito longo, porém exige que eu tenha uma máquina virtual zerada para poder explicar as coisas. Também estava com um pouco de dificuldade em achar a última versão do Debian 11 (que é a única versão suportada até a data de publicação desta postagem).
Dito isso, vamos aos requisitos:

  1. Instalação Debian (funciona com Ubuntu também, mas talvez será preciso adaptar comandos) com pelo ao menos 15GB livres, sem contar o sistema. Pode ser VPS, máquina virtual ou física;
  2. Acesso root (preferencialmente SSH, seria meio chato deslocar da sua casa até o servidor só pra fazer servidor de Left 4 Dead);
  3. Paciência (mas não precisa muita, LinuxGSM facilita o trabalho de criar servidores de jogos).
💡
O download do Debian 11 pode ser feito clicando aqui.

Se você estiver instalando o Debian, por conta própria e em uma máquina virtual, bem no começo ele vai perguntar se você quer instalação gráfica ou somente instalar. Pra esse caso aqui, escolhi a instalação comum. No meio da instalação, após configurar usuário, nome do sistema, etc., você vai ser agraciado com a tela de escolha de softwares para instalar.

Como escolhemos só instalar, vamos desmarcar qualquer ambiente gráfico e deixar marcado somente SSH Server e Standard System Utilities.

Sistema instalado, vamos aos negócios.

Primeiro de tudo vamos logar via SSH usando o comando ssh nomedeusuario@IP. Após logado, vamos as preliminares.

Instalando dependências

💡
Existe a possibilidade de sua instalação Debian não responder a comandos sudo. Para isso basta usar o comando apt install sudo -y.

Vá ao diretório etc/apt usando os seguintes comandos cd / e depois cd etc/apt. Agora execute o comando nano sources.list para poder editar o arquivo. Em seguida, cole os seguintes repositórios no arquivo:

Agora dê Ctrl + X e em seguida Y e depois ENTER para salvar as alterações.

Agora, execute o seguinte comando:

💡
Este comando gigante vai instalar todos os pacotes e utilitários necessários para poder rodar o LinuxGSM. A chance de algo não instalar é grande caso você não tenha configurado direitinho os repositórios.

Configurando usuário

Essa é a parte mais importante e que demora um pouco. Jogos da Valve tendem a ter em suas versões de servidores os mesmos arquivos do jogo original, então isso pode demorar um pouco. Vai depender da conexão. Então vamos aos comandos:

Instalando servidor

Se tudo deu certo até aqui, você vai dar de topa com essa tela:
Agora é dar Enter e aguardar o sistema baixar todos os arquivos necessários. Após terminar o download, o sistema vai perguntar se tudo foi baixado com sucesso, só dar Enter. Geralmente quando tem erros durante o download dos arquivos do servidor, essa pergunta nem aparece.

Após isso o sistema vai perguntar se você gostaria de enviar estatísticas anônimas para os desenvolvedores do LinuxGSM. Neste caso, você que sabe.

Antes de rodar o servidor

Quaisquer problemas, o que raramente acontece, o LinuxGSM costuma mostrar quando o comando ./l4d2server install é executado. Se falta alguma dependência, também é mostrado qual e o comando para poder instalar aquela dependência também aparece. Se ela não for tão necessária, a instalação procede normalmente e você instala essa dependência depois (ou enquanto estiver baixando o os arquivos, usando outra sessão SSH).

Pé na estrada

Na primeira vez que você rodar este comando. o LinuxGSM vai executar algumas configurações padrões e iniciar o servidor. Tudo dando certo, seu terminal será parecido com este:

Servidor de Left 4 Dead 2 rodando no Linux. Simples assim!

Servidor de Left 4 Dead 2 rodando no Linux. Simples assim!

Alguns comandos úteis:

Cadê o server.cfg?

Ao usar o LinuxGSM, você não tem o arquivo server.cfg. Você tem o arquivo l4d2server.cfg que fica na mesma pasta que o antigo server.cfg.

Informações adicionais

Tem alguma dica ou sugestão? Sinta-se livre para poder comentar.

Servidores

https://idtd.nl/UoS15

📝 Confira nossas regras de comentários. Seu e-mail não será publicado.
Se preferir, entre em contato.